Passou anos sem se saber
Sem se conhecer
Sem evoluir

Apenas trancada dentro de si
Estudando cada célula que havia ali
Sem nunca desistir

Parecia confusa aos olhares alheios
Muitas vezes, sem seus próprios anseios
Mas com seus estudos de si continuava a insistir

Sabia que o seu dia chegaria
Que a sua função entenderia
E que seria a hora de partir

E quando esse dia se deu
Na mesma hora ela entendeu
Que estava na hora de agir

Sem sair de casa, partiu
Seu destino desconhecido seguiu
E estava sempre a sorrir

Pra onde ela ia o mundo não entendeu
E ela mesma, com dificuldade, compreendeu
O caminho que estava a seguir

Hoje ela sabe aonde vai:
Vai para os braços do Pai
De onde ela nunca mais quer sair

E quando questionada sobre o Estudo de Si,
Responde tranquilamente e sorri:
Amor é para onde devemos ir.
(Fernanda Souza para 48janeiros)

9 Comentários

  1. Um poema muito bonito. Parabéns para a autora.

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigada por ter postado o meu poema! Tô tremendo de tão feliz! ❤

    ResponderExcluir
  3. Que maravilha!

    Me lembrei das reflexões de Thomas Merton em "Homem algum é uma ilha".

    ResponderExcluir