Um pobre porém nobre homem estava noivo de uma bela e virtuosa jovem mulher. Antes do casamento, sua noiva ficou grávida. Mas ela era – e permaneceria – virgem durante toda a sua vida. Esse homem honrou seu compromisso e se casou com ela mesmo assim. Os vizinhos, sem duvidas, cochichavam. O bebê chegou longe de casa, num lugar frio e perigoso, sem amigos e família presentes para celebrar seu nascimento. Ele fugiu com Sua família em busca de segurança para uma terra distante, protegendo sua esposa e cuidando de seu Filho adotivo até o fim de sua vida.

Esse homem disse “sim” a algo simples e belo: a vida vivida ao lado de uma boa mulher. E esse compromisso feito diante de Deus virou sua vida de cabeça para baixo. Ele reafirmou seu “sim” a cada passo ao longo do caminho, e hoje toda a Igreja o honra.

São José, santo patrono das nossas famílias e da nossa Igreja, rogai por nós.


Lições de São José

Como São José, nós podemos nos comprometer a algo e de repente descobrir que aquilo se transformou em mais do que previmos. Quando essas mudanças são acompanhadas pelo sofrimento, é natural questionar onde Deus estava naquele compromisso inicial ou quando foi que demos o passo errado.

Era essa a carreira ideal? Era ele o homem certo a se casar? Deveria eu ter tido todas essas crianças? E como São José, nós podemos não ver o fim da história da perspectiva do céu. Nós podemos nunca ter uma prova concreta de que o nosso sofrimento não foi em vão. Sua vida, entretanto, nos consola através dessas incertezas. Através do exemplo de São José, nós encontramos diversos modos de superar a tentação da dúvida e do desespero.

Humildade em oração

São José manteve um humilde e receptivo relacionamento com Deus Pai. Quando se deparava com decisões difíceis que não possuíam uma resposta moral, ele era capaz de ouvir e responder à voz de Deus. Quando nós já estamos decididos num curso de ações, mesmo que seja bom, pode ser difícil para o Senhor guiar nossos corações para outro lugar. Um coração verdadeiro e dócil dá a Deus a oportunidade de nos fazer santos e de colocar fogo no mundo.

Na sua vida de oração, você almeja ouvir e obedecer a vontade do Pai que está acima de todas as coisas?

Do amor ao meu próprio conforto e do medo da morte, livrai-me, Senhor.

Humildade no nome

São José permitiu seu bom nome a ser mal entendido e muito possivelmente ridicularizado por uma comunidade que ele amava. Ele honrou os pedidos de Deus apesar das ameaças à sua reputação. Ele literalmente deixou sua identidade aos olhos de Deus antes de aos olhos do mundo. Se livrou da necessidade de ser entendido e aceitado. Quando os limites que colocamos nas nossas decisões e ações desaparecem, damos a Deus verdadeira liberdade para dirigir nossas vidas.

Quando tomando decisões, você busca agradar a Deus antes de agradar aos outros?


Da necessidade de ser entendido e da necessidade de ser aceito, livra-me, Senhor.

Colocando os outros primeiro
Se São José tivesse pensado em seu próprio bem quando soube da gravidez de Maria, provavelmente teria a deixado. Quando fugiu de sua terra natal, ele em si não estava em perigo; fugiu para proteger Jesus. As ligações duras que fez e os desafios que suportou em consequência foram para o bem de outros. A narrativa de hoje nos leva a acreditar que servir aos outros dessa madeira dispendiosa diminui nossa liberdade e inibe nosso potencial. O exemplo do Pai Adotivo de Jesus nos diz outra coisa.

Quando o bem do outro nos demanda sacrifícios pessoais, você responde com caridade?

Do medo de servir os outros, livrai-me, Senhor.

São José ensina-nos a não termos medo

São José foi unicamente abençoado em vida a descansar aos pés de Jesus. Através do seu exemplo e intercessão, nós podemos deitar as nossas vidas aos pés de Jesus como ele fez. Se cada compromisso e tudo o que ele implica é feito com o conselho de Jesus e um coração humilde que busca conhecê-lo, amá-lo e servi-lo, podemos avançar na fé, confiando em Deus para manter a nós e às nossas decisões perto dele e daquilo que é bom para nós.

Glorioso São José, esposo da Virgem Imaculada, obtenha para mim uma mente pura, humilde e caridosa, e uma perfeita resignação à vontade divina. Seja meu guia, meu pai e meu modelo pela vida, para que eu possa ter a honra de morrer como vós morrestes: nos braços de Jesus e Maria. Amém.

Texto original por Blessed is She. Tradução 48janeiros.

Um Comentário

  1. São José, nosso grande inspirador, rogai por nós!

    ResponderExcluir