Êxodo 14, 13-16.21a. 

"Moisés, porém, disse: "Não tenham medo. Apenas permaneçam firmes e vejam como o Senhor os resgatará neste dia. Vocês nunca mais verão os egípcios que estão vendo hoje. O próprio Senhor lutará por vocês. Fiquem calmos!". 
Então o Senhor disse a Moisés: "Por que você está clamando a mim? Diga ao povo que marche! Tome sua vara e estenda a mão sobre o mar. Divida as águas para que os israelitas atravessem pelo meio do mar, em terra seca".
Então Moisés estendeu a mão sobre o mar e, com um forte vento leste, o Senhor abriu caminho no meio das águas."
Essa passagem conversa muito conosco. Ela, ao mesmo tempo, nos chama a atenção para dois comportamentos antagônicos: um que não devemos ter e um que precisamos ter. O primeiro diz respeito ao fato de que muitas vezes esperamos por milagres e ações gigantescas do Pai sem que, na verdade, movamos uma pedra para conquistar a vitória; o segundo, por outro lado, refere-se à necessidade de confiarmos no auxílio que virá dos Céus, de maneira que devemos seguir na luta acreditando no poder das armas que Deus nos prometer. Em suma, vemos dois tipos de fé: fé que gera comodismo e fé que gera coragem. Qual dessas duas você tem experienciado?
Moisés, ao ser questionado pelos israelitas que se veem encurralados pelo exército egípcio, assume a postura de pacificador, alegando que não há motivo para temer, pois Deus os salvará, Deus lutará por todos eles. O que é verdade, Deus lutará por eles, mas, analisem a situação: à sua frente, há um mar. Atrás de você, há uma legião de perseguidores. Ao seu lado, milhares de pessoas prestes a serem refeitas escravas e, guiando todos vocês, um homem gago que os pede calma em nome do Senhor. Quantos de nós também surtaríamos? Quantos de nós entraríamos em desespero? Não é à toa que Deus responde à Moisés: "Por que está esperando que eu faça um grande milagre? Antes disso, toma teu povo e corre! À frente eu agirei por vocês, mas isso não significa que vocês não precisarão agir também!".
Gosto muito de refletir sobre esse trecho bíblico, porque ele me leva a pensar em quais atitudes minhas as pessoas veem o poder transformador de Cristo. Isso não significa dizer que tudo depende de mim, porque, eu sei, tudo depende d'Ele; na verdade, apenas pondero: se, um dia, alguém dependesse do meu exemplo de postura e de fé para crer na supremacia do Senhor perante qualquer provação, minha postura e minha fé representariam a bravura que Deus exige de mim? Ou eu seria apenas mais um daqueles exemplares de letargia, os quais interpretam os grandes gestos de defesa e de livramento de Deus como casos de magia, fantasia, em que fé e atitude nem sempre andam juntas?
Vou dizer no que acredito: acredito que a fé de verdade não nos conforma, ela nos incomoda. Ela nos incomoda ao ponto de não conseguirmos ficar parados, ela nos incomoda ao ponto de adquirirmos uma coragem extraordinária para enfrentar os mares a serem divididos, ela nos incomoda ao ponto de não aceitarmos mais esperar pelo milagre - nós vamos atrás dele, confiantes de que Deus não nos abandonará no momento crucial do enfrentamento. A fé de verdade é certeza: não estaremos sozinhos. A fé frutífera é obediência: se Deus mandou, assim eu farei. "Se Deus me disse que o mar permitirá passagem quando eu estender meu cajado sobre as águas, então eu vou até o mar, estenderei meu cajado sobre as águas e elas permitirão passagem. Mas, para isso, eu precisarei ir até lá".
Que, nesse começo de ano, possamos rever os nossos atos de fé. Que possamos ponderar sobre a nossa postura enquanto guias, evangelizadores de uma geração. Que possamos ir aonde Deus nos manda ir e que, chegando lá, tenhamos fé suficiente para fazer aquilo que Ele nos manda fazer. Que seja tudo sobre Ele, tudo para Ele, tudo por meio d'Ele. Que sejamos apenas fiéis. Que sejamos instrumentos certos nas mãos do Pai, de modo que possamos ouvir e aceitar quando Ele nos disser: "a ti darei esta cruz porque sei que tu és capaz de suportá-la".
Um bom começo de ano a todos.
Leiamos a Bíblia!

Um Comentário

  1. Maravilhoso! Que Deus abençoe a todos vocês que sempre nos ajudam a buscar mais a Deus com seus textos!

    ResponderExcluir