Você sorria. Lembro de você dando seus primeiros passos, aprendendo as primeiras palavras, em seguida aprendendo a escrevê-las. Até algum tempo atrás você tinha esse brilho na alma, que, em certo momento, se apagou. Parecia que as horas que passávamos juntos não eram suficientes. Você começou a se aquietar, a esconder coisas de mim, mesmo sabendo que Eu as sabia. Você foi fechando o coração e se trancando na própria tristeza, e hoje está aqui, aos meus pés em prantos pedindo para que Eu acabe com tudo isso.
Você esperou que a capela estivesse vazia e entrou vagarosamente, hesitante de se colocar em minha presença. Se ajoelhou, me cumprimentou e sentou-se no banco mais próximo do tabernáculo. Tentei chamar sua atenção algumas vezes, mas sua mente estava um caos, um turbilhão de pensamentos e eu sabia que você não deixaria que Eu falasse. Eu sabia que você precisava desse tempo para deixar que tudo transbordasse, e transbordou. Suas lágrimas de amargura logo irromperam e ainda assim você mantinha sua mão na testa, evitando olhar para mim, apenas afundando em si mesma, na escuridão que estava por dentro.
Eu deixei que soubesse que Eu estava ali caso resolvesse falar algo comigo. Enquanto isso, apenas acariciei seus cabelos e deixei que chorasse as dores que te fizeram desistir de tudo. Ouvia em meio ao seu copioso choro alguns sussurros, que diziam: "Senhor, eu não aguento mais. Queria ter coragem de acabar com tudo, mas não tenho. Por favor, recebe minha vida, eu não quero mais viver". Isso fazia doer meu coração, mas eu sabia que, em algum momento, você pararia para me escutar e deixaria que eu parasse a tempestade, e assim o foi.
Filha, se ajoelhe, eu disse, e você se ajoelhou. A única coisa que eu te peço é que deixe eu te amar, mesmo que hesitante. Tudo que eu precisava é que você abrisse uma fresta do seu coração por onde Eu pudesse entrar, e você abriu. E então Eu mostrei o quão grande meu amor é. Eu derramei meu sangue preciosíssimo sobre você e a banhei no oceano do meu amor. Eu te mostrei a prova definitiva: a cruz.
Minha filha, eu sei que seu coração se entristeceu e que lutar contra sua tristeza ou depressão têm sido trabalhos desafiadores, mas preciso que você saiba que eu não a criei para essa tristeza. Eu escolhi morrer no seu lugar porque Eu quero você viva! É meu desejo que você tenha vida, por isso eu entreguei a minha por você. Eu sabia que me pediria para que tirasse a sua, mas meus olhos amorosos a enxergam de outra maneira. Entende agora? Para cada vez que você pensou em morrer, Eu já tinha morrido no seu lugar. Tenho muitos planos de felicidade para você. Foi por você, foi tudo por você! Tudo que peço é que confie em mim. Me deixe curar seu coração.

2 Comentários

  1. Lindo! Por inúmeras vezes passamos por isso e com muito carinho Ele sempre abre a porta do céu para nós.

    ResponderExcluir