Fui parar pra refletir sobre o mar, sobre a praia. Achei interessante porque não é uma pintura, você sente todas as sensações: a areia no pé, a brisa do mar, o refresco do vento. Percebi também a movimentação das pessoas, as cores, os cheiros. Mulheres exibindo o corpo, homens com garrafa de cerveja do lado, crianças fazendo castelinho de areia. Vi milhares de guardas-sol, cada um de uma cor; vi muita sujeira no chão, e milhares de sorrisos, mas... Será que todos são verdadeiros?
Reparei que poucos olham para a imensidão do mar, poucos reparam no céu azulzinho e lá no fundo do horizonte uma ilhazinha solitária. Vi a alegria de alguns ao se banhar na água, e o incomodo de outros ao perceber o sal que existe nela. Vi os pais levando seus filhos para pular as ondas, mas... Por quê?
Tentei desligar-me de todos, pegar uma borracha e apagar tudo aquilo que estava ao meu redor. E o que eu vi? Areia e água. Algo nessa água me chama a atenção. Será que o gosto? Será a cor? Nessa água existem ondas, ondas que não param. É dia e noite. Todo dia, toda hora. Natal, Ano novo, Páscoa. As ondas não param, não existe um botão de liga e desliga, não existe uma folga para as ondas, na verdade é nas ondas que as pessoas tiram folgas. E o mais interessante é que essas ondas não se cansam, não são como as folhas das árvores que a um determinado tempo caem. As ondas estão ali pra sempre. Acolhem aqueles que chegam e se despedem daqueles que vão.
Tirei os óculos da realidade e vi um pouco da imensidão do amor de Deus. Dá pra imaginar que Deus fez as ondas do mar baseado no amor dEle? Deus está lá, grandioso e majestoso como o mar, o seu amor é infinito como as ondas. Não há distinção de pessoas para se aproveitar o mar. Não tem diferença de pessoas para o amor de Deus. Seja homem, mulher, heterossexual, homossexual, morador de rua, criança, negro, branco, baixo, alto... Todos podem se banham nessas ondas de amor.
O amor de Deus não se desliga. O amor de Deus é infinito, veio do sempre e viverá para sempre. Ele não se cansa. Acolhe, recolhe e refaz todos e tudo. E que gosto tem o amor de Deus? Isso mesmo, salgado. O sal dá gosto, o sal dá forma, o sal tempera. Depois que experimentamos profundamente esse amor, tudo muda, dá gosto de se viver, por isso que muitos evitam o mar... A mudança incomoda aqueles que estão acomodados.
E se banhar nessas ondas não é difícil, é só... Ir. Assim como nosso Deus. Para aproveitar esse amor, basta aceita-lo. Só não se esqueça que não há lugar melhor do que as ondas do mar, ou melhor falando, existe apenas um lugar melhor: O Amor de Deus.
Fui pra praia, me banhar no mar e não sai mais. 

Um Comentário

  1. Que texto mais lindo!
    Sabe, um dos meus maiores amores é o mar, justamente pela profundidade de segredos que ele esconde. Às vezes é tão calmaria, outras é turbulento, mas a gente sempre descobre um conforto inexplicável no balançar das ondas. Não sei explicar, sei que essa obra divina é reconfortante, olhar o mar, ouvir o som da ondas, sentir aquela brisa diferente... recarrega as energias.

    www.florejar.com

    ResponderExcluir