Certamente você deve ter datas importantes na vida. Não falo somente de aniversários ou coisas semelhantes, mas de dias que você simplesmente tomou uma decisão, coragem e algo mudou. Algo mudou.
Esse final de semana, no retiro que participei, partilhava o quanto sou difícil e dura para mudanças. Talvez você também se reconheça assim, mas preciso dizer: mudar é crescer. Pode ser que mudar doa, porque tudo que venha alterar algo em nossa vida, de princípio, será difícil.
Minhas mudanças de escola, de turno, de pensamentos... tudo foi bem complicado. Mas por qual razão isso? Por eu (ou nós) estar tão bem no meu comodismo, o achando confortável, que sair dele me custaria muito. Porque sair de si exige renunciar seu orgulho, prepotência e verdades. É difícil se adaptar ao novo que a vida nos lança.
Essa semana fiz uma semana na comunidade. Eu chegava de um acampamento, onde muitas dúvidas pairavam sobre minha cabeça, e eu sabia que, qualquer que fosse a decisão que eu tomasse a partir dali, muita coisa mudaria. E mudou. Alguns dias depois o meu avô faleceu e hoje eu percebo que há vezes em que nós temos o poder de escolher, de mudar tudo. Às vezes as coisas só acontecem e cabe a nós o modo de como lidar.
Eu escolhi dizer sim ao chamado de Deus naquela comunidade, naquele lugar. E com isso inúmeras consequências vieram junto. Quanto a morte do meu avô: a vida se encarregou dessa parte e coube a mim saber que ''toda dor é por enquanto''.
Não é sobre os caminhos. Não é sobre as escolhas. Não é sobre decidir. Não é mais sobre as consequências. É sobre saber que, independente de tudo, fomos feitos para o eterno. Tudo é por enquanto, como me falaram ontem no retiro, mas é preciso saber viver desde já a eternidade.
Toda dor é por enquanto
A tua alegria, daqui até o fim
E eternamente

Um Comentário