Mas Deus via por mim, via maior. Não permitiu que eu me "instalasse" na terra. Forçou-me a ter "necessidade de Céu" (Maria Noel)
Em grande parte de nossas vidas, nos acostumamos a sonhar nossos sonhos, ou até mesmo abrir mão deles e aceitar o que vier. Ficamos acomodados à mesma rotina, a temer avançar e deixar o que temos pra trás. Aceitamos migalhas e um pouco que é um quase nada. E ficamos ali vivendo situações, nos doando por completo por algo ou alguém que não sabe nem ser metade. Quantas e quantas vezes aceitamos boiar em superfícies sendo que fomos feitos para mergulhar em águas bem profundas? Nossas orações começam a  mudar; começamos a desejar que o outro mude, que nos enxergue como sendo a solução. Rezamos para que Deus faça o melhor pra nós. E Ele faz. Ele muda tudo e gera dentro de nós a maior das "confusões e questionamentos". Mesmo sabendo que é o agir de Deus, nos sentimos desconfortáveis por sonhar com algo novo, por desejar novamente o céu. Porque o que arrastávamos ao longo desse tempo parecia ser o que merecíamos, parecia ser unicamente necessário, parecia, parecia... mas não era!
Porque mesmo tendo mais dias tristes que felizes, você se acostumou a pensar que aquilo era pra você e teu medo da dor do desconforto te impediu de avançar. E então enxergamos Deus, porque Ele não deixou de estar conosco, nós que deixamos de enxergá–Lo, pois aquilo que vivíamos passou a silenciar nossos olhares e a endeusar sofrimentos e migalhas. Então Ele nos força a  ter necessidade de Céu, de aceitar suas surpresas, de deixar se encontrar; com o novo, com o verdadeiro que “nos faz bem”.  
Pode ser que você já tenha desistido e que está aí repetindo diariamente que está bem com o que tem, que isso é o suficiente para você. Aí está a necessidade da oração mesmo em tempos difíceis, ou até mesmo aqueles tempos que não sabemos classificar. A oração nos coloca à disposição do agir de Deus, e, mesmo quando pensarmos que não estamos sendo ouvidos ou que fomos esquecidos, Ele já está agindo. No fim das contas, vamos achar que foi de uma vez, que foi de um dia para o outro, mas não foi. Deus tem agido constantemente, diariamente e decididamente em nossas vidas, mas também existe a hora certa de enxergamos isso. E sempre será a hora de confiarmos.
Não há duvidas que tudo que esta vivendo lhe dará aprendizados. Pois são permitidos a nos vários caminhos, mas não há permissão para não aprendermos com eles.
Não deixe de rezar, mesmo quando parecer-se acostumado com a situação. Mesmo que imaginar a partida pareça doer mais, mas não se deixe enganar. Há anos você pode estar vivendo uma dor dividida no cartão em 12x com juros. Não tenha medo dos desconfortos: queira vivê-los, queira avançar, queira realizar os sonhos de Deus pra você. Isso não é conto de fadas, mas é um história de Amor, o mais sublime Amor. E dependerá de você. Do quanto você se importa, do quanto você anseia, do quanto você quer deixar pra trás... Nesse caminho levar bagagens ou arrastar pessoas são coisas proibidas. Saiba caminhar com o necessário e saiba aproveitar as companhias de quem também resolveu caminhar. E quando não souber mais o que pedir, peça coragem; quando não souber o que desejar, deseje confiar. Deus estará sempre contigo, mas é você que decide se Ele será o Escritor ou um apenas um personagem dessa historia.
Eu desejo que você deseje sonhar os sonhos de Deus.
Salve Maria!

Um Comentário

  1. Apaixonada pelos teus tesxtos. O 48 Janeiros é uma inspiração para mim. Obrigada!

    ResponderExcluir