Às vezes o amar se consiste justamente no ato de abrir a gaiola e deixar o outro partir. Eu sei que isso parece contraditório, eu mesma por muito tempo acreditei no oposto: amar é para sempre. Ou, como diriam os filósofos do Facebook: se não durou para sempre não era amor. Eu discordo disso. Discordo fortemente.
O amor nem sempre vem com uma promessa de felizes para sempre. Sabemos que, algum dia, com alguém, durará para sempre. É a grande beleza do matrimônio. Entretanto, acho uma tremenda covardia apontarmos o dedo para os amores que passaram e dizermos que não foram amor porque não duraram. Quem é que disse que tudo vai durar para sempre?
Se você vai se casar com uma pessoa e passar o resto da vida com ela, obviamente precisa dar errado com todas as outras primeiro. Isso não significa que não foram amor. Significa que, em algum momento, você precisou deixar o outro partir por saber que o tempo de ambos terminou. Algumas coisas são boas justamente porque acabam. Se fossem para sempre, talvez, em algum momento, deixariam de ser tão bonitas assim. Às vezes a gente precisa deixar o outro ir para preservá-lo da autodestruição. Para que o amor não se converta em algo que não soe tão bonito quanto ele merece soar.
Existe uma beleza muito grande no deixar ir. Muitas vezes é difícil de se entender e de se aceitar. Nós queremos tanto ver uma reviravolta de filme, um discurso improvisado e lágrimas de emoção. O beijo da reconciliação, os planos para o futuro, o começar de novo. Mas, muitas vezes, não é só mais uma fase ruim antes do amor eterno. Às vezes é realmente o fim e a gente precisa aceitar isso.
Amar é saber esperar o tempo do outro. É entender que cada um tem o seu destino e que nem sempre a pessoa vai escolher passar o resto da vida com você. Amar é renunciar mesmo que às vezes a renuncia seja o outro. Às vezes por ele, às vezes por nós. De forma que não deixemos que o amor seja manchado por substâncias tóxicas, mas que acabe antes que deixe feridas profundas que não precisariam existir. Deus tem o caminho certo para todos nós e, independente da idade que tenhamos, somos sempre jovens demais para temermos o futuro.
Amar, às vezes, é deixar ir embora. Eu sei o quanto dói assumir isso quando a gente ama alguém ao ponto do coração arder. Mas vai passar, confia em mim. Acredite no clichê de o que é seu está guardado e deixe o outro livre. Se for seu, Deus vai trazer. Se não for, tudo bem também. Não é porque não foi eterno que não foi amor.
"(...) Quando, porém, vier o que é perfeito, o imperfeito desaparecerá" I Cor 13,10

2 Comentários

  1. Que maravilha de texto!!!!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada por este texto, Nathalia <3 Era tudo o que eu precisava...

    ResponderExcluir