Estudos, trabalho, família, relacionamentos... vida de oração! Como conciliar tudo isso e ainda ter vida de oração? A cada semana, até mesmo dia que passa percebo que o tempo se acelera mais e mais e com ele aumentam nossas responsabilidades. A vontade inicial de quando eu olho a lista de coisas para fazer é de desistir. É difícil, como diria a música do Coldplay: ''Ninguém disse que seria fácil''. Ele não disse que seria fácil, pelo contrário, nos alertou: ''No mundo haveis de ter aflições. Coragem! Eu venci o mundo.''
Jesus, como mais ninguém, soube ser verdadeiramente humano. Eu me surpreendo com isto a cada. Alguém tão divino, vivenciou a humanidade do modo mais puro e real. Não descartou as dificuldades, os problemas, as dores, pelo contrário, quis vivenciá-las para nos mostrar que com Ele conseguimos suportar e por Ele podemos superar. Você pode ainda contestar o fato de que a vida Dele não se assemelha às nossas dificuldades, então vejamos:
Temos nossas responsabilidades no trabalho, muitas vezes vindas por cobranças. Temos responsabilidades na escola/faculdade, que nos impulsionam a sermos bons estudantes. Temos responsabilidades em casa, com afazeres, dedicação. Temos... é, vamos parar por aqui. E Jesus? Ah. A responsabilidade Dele era somente de garantir a salvação para todo o mundo (literalmente). De aceitar morrer, mas antes disso, andar (nem ônibus lotado tinha) várias localidades para anunciar o Reino.
Não pretendo aqui desprezar ou diminuir nossas dificuldades, mas que possamos entender: O Senhor fazia tudo por ter o Pai. Por ter como prioridade o Pai. Ele conseguiu vencer o mundo por ser inteiro do Pai. E nós? Quanto temos deixado sermos vasos vazios para sermos preenchidos pelo Novo de Deus? Pelo Próprio?
Sim, nós temos dificuldades. Nós temos problemas. Nós temos os nossos dias atribulados e abarrotados de tarefas, mas a primazia de Deus faz com que minha vida seja ordenada. Não que seja mais fácil, mas ordenada. Onde Deus é o primeiro. Onde Ele cuida de mim enquanto cuido daquilo que Ele me deu para cuidar, frutificar e gerar.
Sei que é difícil conviver com as cobranças que o mundo nos faz, e até mesmo com aquelas que vem dos nosso grupos de oração e comunidades, mas a responsabilidade é o que nos faz crescer. São as exigências que nos levam para o alto e não podemos mais vivenciar um comodismo de estarmos sentados, esperando que o Pai venha nos buscar. Os santos só são santos por um dia terem se gastado pelo Reino, seja em qual modo de vida tiveram. No convento ou nas pranchas de surf: Somos chamados a levar a graça, mesmo na nossa pequenez, mesmo com as 24h sendo poucas.
Uma carta do fundador da minha comunidade sempre me faz relembrar o quanto é precioso o primeiro lugar ser de Deus, quando tudo parece querer desmoronar:
''O primeiro lugar sempre é e será Dele.Não porque somos exigidos para isso, mas porque conscientemente sabemos que se deixarmos de dar este lugar definido em nossas vidas para o Senhor seremos consumidos por coisas que estão à espera de ser, de fato, o primeiro lugar, e são essas coisas que desejam tomar a primazia da graça, a primazia da nossa vocação, a primazia de Deus.''
Que sigamos em frente, enfrentando as barreiras e lutando pelo Reino. Como diria Santo Agostinho: ''Senhor, é duro te seguir, mas é impossível te deixar''.
Graça e paz!

Deixe um comentário