Você certamente já ouviu alguém dizer que devemos conviver com nossos erros. Talvez essa fala veio de uma série ou filme que você assistiu, até mesmo de algum amigo ou conhecido, mas como é difícil vivê-la no nosso dia-a-dia.

Resultado de imagem para escrever tumblr
Que todos nós erramos não é novidade, é simplesmente a condição humana e não há muito que possamos fazer. Isso não significa que não devamos fazer nada! Já vi várias pessoas que usam o “Ninguém é perfeito” como argumento/desculpa para persistir nas mesmas situações, mesmos pecados, mesmos erros, e essa atitude por si só já é um grande erro. Ainda que imperfeitos, não fomos feitos para ficarmos caídos e deixar que o mundo gire enquanto continuamos no mesmo lugar. Somos seres imperfeitos que a todo tempo buscam a perfeição, e nessa busca não vamos ter 100% de acertos, mas se não tivermos persistência nossa imperfeição vira apenas uma âncora que nos naufraga e nos distancia do objetivo que tínhamos em mente quando saímos do litoral.
Errar machuca, dói, fere aqueles que estão ao nosso redor e deixa marcas em nossas vidas que demoram a desbotar. Muitas vezes nos sentimos fracos demais para enfrentar nossos erros e simplesmente corremos, nos escondemos, mas esquecemos que não podemos nos esconder de Deus. E o que dizer para Ele depois de cometer o mesmo erro várias vezes? Aquela sensação de reprovação e de vergonha até mesmo de se colocar na presença de Deus tomam conta do nosso coração e o desânimo começa a preparar as correntes da nossa âncora. Esse é o efeito que o pecado tem na nossa vida. Ele destrói, separa, mas o Senhor vem nos mostrar que seu amor supera todas essas sensações e basta para o recomeço.
O que quero dizer é que muitas vezes pedi o Espírito, a intercessão dos anjos e de Maria, mas caí nos mesmos pecados, e repeti o processo diversas vezes até que, na minha imperfeição, me deparei numa situação em que estava prestes a pular num abismo de decepção, pensando seriamente em desistir de lutar, afinal, sempre perdia a batalha para mim mesmo, e é aí que estava o problema. Não tenho que lutar contra o pecado sozinho, mas sim com o Espírito. Demorei a entender que, nessa batalha espiritual, se eu lutar apenas com as minhas forças vou sempre perder!
Como antes eu disse, minha imperfeição foi a âncora que quase me afundou e, num momento de entrega, o Senhor enfim apontou meus erros e me fez enxergar que evitar o pecado não é sinônimo de viver na graça! De nada adiantava todo o esforço que eu fiz se ele era mantido apenas pela minha força de vontade, porque esta acaba. Era necessário que eu compreendesse que eu conseguiria me desvincular do pecado não porque eu queria, mas porque Ele me preservaria na medida em que eu me entregasse à ação da Sua graça na minha vida.  E sinceramente? Grande parte desta graça veio através das mãos de Maria.
Quando eu tinha vergonha de me colocar diante do Senhor, eu rezava a Nossa Senhora para que me mostrasse onde errei e me conduzisse de volta ao seu Filho. De certa forma, ter esse colo, esse amor de mãe nos momentos de frustração e desespero foi o que me manteve com a cabeça no lugar para juntar os pedaços e recomeçar. E o mais incrível foi que depois de cada desterro, ela me mostrava o seu Filho, o bendito fruto do seu ventre.
Eu sei que é difícil fazer tudo direito. Eu me desanimo muito quando olho para outra pessoas que estão na caminhada e parece que elas estão em um nível tão maior de santidade que o meu. Mesmo que eu saiba que elas também caem, que também tem pecados tão ruins quanto os meus, que a imperfeição delas é a mesma que a minha, parece que elas têm uma facilidade em se entregar, em amar a Deus e estar próximas Dele, e por muito tempo esses pensamentos me alfinetavam e desmotivavam. Sabe, muita gente sente as mesmas coisas que eu acabei de descrever, mas um dia a gente aprende que não adianta ficar olhando pros outros porque a gente fica olhando pra história que Deus escreveu com eles, mas não nos lembramos daquela que Ele quer escrever conosco.
Ei, você que leu até aqui. Você mesmo!
Fecha um pouco os olhos e pensa em tudo que você viveu com Deus até agora. Pensou? Se isso fosse um livro, daria quantas páginas? Umas 5? 10? 200? Bom, independentemente de quantas páginas você pensou, quero que você saiba que Deus quer escrever muitas mais junto com você. Nós sabemos que toda história tem seus altos e baixos, momentos de realização e de superação e é normal se sentir um pouco deixado de lado, um pouco menos especial, mas Ele nos criou com a intenção de ter uma história de amor única e incrível conosco.
Tenho certeza de que Ele tem grandes planos para você, muito maiores do que os que você tem ou terá, e Ele quer realizar esses planos na sua vida independentemente do quanto você os atrase, justamente porque Ele te ama incondicionalmente e não vai ser a sua imperfeição que vai mudar isso. E se você sente que já está afundando, se acalme e ouça a voz que dá um fim à tempestade. Olhe para cima e veja a mão dAquele que andou sobre as águas te trazendo de volta à superfície e te amando como sempre amou e sempre amará.
“Se o mar me submergir, a sua mão me traz à tona para respirar e me faz andar sobre as águas
Tu és o Deus da minha salvação. És o meu tudo minha paixão. Minha canção e o meu louvor”

Deixe um comentário