O silêncio incomoda, não?
Não gostamos do silêncio por vários motivos. Ele é inconveniente, intruso, nos força a perceber que, muitas vezes, ao nosso redor não há nada nem ninguém, porém o que mais me incomoda no silêncio é quando ele se faz presente junto a um coração agitado.
Nunca gostei de pensar muito nos meus problemas. Sempre que podia me distraía com alguma coisa justamente para não enfrentá-los. Talvez minha paixão por jogos e música tenha vindo dessa fuga, mas o fato é que eu tenho medo de mim mesmo e, muitas vezes, das coisas que estão guardadas aqui dentro. E quem não tem?
É duro passar por uma situação difícil e logo depois se encontrar consigo mesmo num quarto escuro. Várias das vezes que tive insônia foram tentativas bobas de ocupar minha cabeça com qualquer coisa porque sabia que, se me deitasse e deixasse o silêncio tomar conta, iria acabar em lágrimas por longos minutos. Quantas vezes tudo que eu queria era colocar minha cabeça no colo de alguém que me acariciasse e dissesse que tudo ficaria bem? Geralmente meus pais ou algum amigo(a) próximo(a), mas nunca recorria a Deus justamente por querer esta presença física ao meu lado.
O único detalhe que eu não percebia é que ali, no lugar onde eu mais evitava, eu O encontraria.
Deus não precisa de grandes coisas para agir no nosso coração. Eu, particularmente, me acostumei a ir a muitos retiros e grupos de oração, e criei a ilusão de que Deus só me tocaria se fosse num momento com música alta, gente gritando e louvando, um salão com uma cruz enorme e pessoas impondo suas mãos sobre mim ao fazer orações. Acontece que não é somente isso. Claro que colocar uma musiquinha não faz mal, mas a questão é que Deus, quando quer fazer uma mudança profunda, não age apenas no barulho, mas principalmente no silêncio.
Várias passagens na bíblia nos contam sobre essa discrição divina: quando Elias não vê Deus na tempestade, nem no terremoto, mas sim na brisa suave; quando Jesus pede que, ao fazer um ato de bondade, uma mão não saiba o que a outra faz; dentre outras.
Ele faz isso justamente porque nossa agitação não permite que se crie um fluxo gradual de reflexões e mudanças no nosso coração. Tenho certeza que você, assim como eu, já fez uma oração rápida por causa de alguma preocupação ou problema, mas as coisas só se acalmaram ou se resolveram quando, no seu silêncio, Deus veio com calma e trabalhou aquilo no seu coração.
A vida é muito dura com a gente. É praticamente inevitável sair de uma pequena jornada sem um grande machucado, ou um pequeno corte, no mínimo. Essas coisas levam tempo para se curar, cicatrizar, mas não é isso que importa. O essencial é a forma como lidamos com essas feridas. Já vi várias pessoas com medo dos seus sentimentos – eu mesmo tenho medo de sentir algumas coisas – e usam todas as suas forças para reprimi-los e escondê-los, e tardam a perceber o mal que isso faz. Não podemos ter medo de sofrer, vergonha de chorar, mesmo que para o nosso travesseiro. É bem melhor colocar essas coisas para fora do que acumular entulho no nosso coração e, quando nos dermos conta, toda essa sujeira ter bloqueado a entrada por onde Jesus iria passar.
Ontem mesmo eu cheguei em casa destruído, exterior e interiormente, depois de ter viajado e assistido uma aula extremamente cansativa. Tinha passado uma semana em casa e não estava muito preparado para deixar minha família e voltar para faculdade sozinho. Tudo que eu queria era desmoronar na minha cama e deixar que as lágrimas rolassem até que eu dormisse e foi ali, deitado no meu silêncio e no escuro que Deus tocou meu coração. Não fiz nenhuma oração, não li nenhum versículo da bíblia nem mandei mensagem para alguém pedindo que orasse por mim. Simplesmente deitei ali nos braços do Pai e descarreguei todo o peso que estava me sufocando.
Uma música de uma banda que eu gosto diz que "Deus sabe ouvir as dores do silêncio", e é a mais pura verdade! Como já disse antes, para Ele o que importa não é nada escandaloso, grandioso, mas a verdade dentro dos nossos corações e, naquele momento, a verdade do meu coração, a minha verdade, foram minhas lágrimas e o profundo desejo de que Ele agisse na minha vida e segurasse minha mão.
Às vezes eu me sinto incomodado de ir ao Sacrário e não ter nada para falar, mas sempre me lembro da frase de um santo que dizia que, mesmo na nossa quietude, Deus age e a sua presença na Eucaristia pode fazer uma transformação profunda nos nossos corações. Isso é muito real na minha vida. Só alguns minutos que passo na Capela ou em adoração já têm um efeito enorme na minha espiritualidade, na qualidade da minha vivência e na tranquilidade e força com que lido com os meus problemas.
Por mais que o silêncio e a escuridão possam parecer assustadores, não devemos ter medo nos aquietar e deixar que Deus molde nossos corações. Faz parte do nosso crescimento espiritual dar um pause e encarar nossas dores com maturidade, ainda que isso signifique nos derramar em prantos de madrugada. Se sabemos que Jesus estará sempre conosco, não tem porquê não segurar Sua mão e permitir que Ele enxugue nossas lágrimas.

5 Comentários

  1. Respostas
    1. Ah, que bom que curtiu! Fica com Deus :D

      Excluir
  2. Deus do céu!! Queria saber como vcs sabem das coisas que se passam aqui dentro de mim,rsrs Me identifico muito com cada texto postado <333 CONTINUEM

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha somos pessoinhas que passam por situações bem parecidas mas com o mesmo Pai que cuida de nós
      Vamos continuar, com certeza :D

      Excluir