''Eu que tanto me perdi
Em sãs desilusões ideais de mim
Não me esqueci
De quem eu sou
E o quanto devo a Você''
Demorou tanto que parecia uma eternidade, mas mal sabia eu que a eternidade só começaria. Foi um caminho difícil, e em muitos momentos esqueci de me preparar para o encontrar. Às vezes deixei com que as circunstâncias fossem maiores que o anseio de te ver. Eu desejava tanto te sentir, perceber, contemplar, que inúmeras vezes procurei tudo isso em outros. O meu coração queria amar, e eu queria ser amada. Existiam espaços a serem preenchidos em mim e só percebi que estes buracos fecharam quando te vi.
Você sempre esteve aqui, mesmo que eu me fizesse distante e achasse que era você é que se afastava. E cada vez que estava mais perto, mais queria estar comigo. Acontece isso quando amamos, né?
A pureza ensinada por ele mesmo me vestia de um modo belo. Coloquei a essência preferida dele: a minha própria. De adornos externos não precisei, pois o que mais realçava a minha beleza era a beleza dele refletida em mim. E minhas imperfeições foram rasgadas junto das minhas mil versões irreais, por razão de estar na presença dele. Só o nosso amor bastava.
Nos encontramos. Depois de tanto procurar seu amor, o encontrei. Depois de tantos desencontros, ele me encontrou. Depois de tantos olhares alheios, eu encontrei o seu olhar, o olhar em que me reconheço e que me guia.
Eu que queria tanto ser vista, acabei sendo enxergada.
Quando eu te encontrei entendi que não mais te procurava por medo, não preparava para um julgamento, onde eu precisaria de muitos argumentos. A verdade é que me preparei para não falar nada, pois o teu olhar me conquistou e diante da tua presença a união de nossos corações bastava.
Agora, Meu Amor, a eternidade é nossa.
''Mesmo quando me descuido
Me desloco
Me deslumbro
Perco o foco
Perco o chão
Eu perco o ar
Me reconheço em Teu olhar
Que é o fio pra me guiar
De volta.''

Deixe um comentário