Em certo momento da minha vida eu jurei para mim mesma que estava no controle da situação; eu sabia o que estava fazendo. Perguntei a opinião de Deus num dia em que não tinha ocupações, mas não sei se realmente ouvi o que Ele tinha para me dizer. É tão difícil a gente ouvir quando temos a nossa própria vontade implorando para ser realizada. Chegamos à conclusão de que Deus aprova, sim, nossos planos - mesmo que Ele não saiba disso.
E então vamos, felizes, como um sedento vai a um pote d'água. Vivemos o que temos que viver, tomamos as decisões que temos que tomar, recolhemos nossa herança e partimos em direção daquilo que queremos sem receios. E aí vem o nosso primeiro tropeço. Tudo bem, repetimos a nós mesmos. Uma ou duas quedas é normal. Estamos tão cegos em busca de nossos caprichos que quando caímos pela segunda, terceira, quarta vez continuamos a mascarar a verdade que insiste em bater em nossas portas: nós seguimos pelo caminho errado.
E quantas vezes, diante da decepção de termos chegado ao fundo do poço, não jogamos a culpa de nossas dores nas costas de Deus? Por que o Senhor permitiu que isso acontecesse? Por que eu tenho que sofrer tanto assim? E ele, pacientemente, não nos acusa. Não nos rejeita pelo cheiro da comida dos porcos impregnado em nossos corpos. Não nos condena por termos seguido sem Ele, tapado os ouvidos enquanto tentava falar conosco. Mas nos abraça, nos acolhe, nos envergonha com tamanha misericórdia.
E então nos sentimos sujos, tristes e indignos de aceitar essa compaixão do Pai. Sentimo-nos envergonhados como Adão e Eva após desobedecerem o Senhor no Éden. E, então, com tamanha insistência, nós nos permitimos ser perdoados. Permitimos que Ele nos alcance com seu amor e transforme em dignidade a podridão na qual se tornou nosso coração.
Hoje eu te convido a se abrir e deixar que Deus controle a sua vida. Ele, como Pai, sabe o que é melhor para nós e quais os caminhos que não vão nos trazer a destruição, mas a vida. Quantas vezes precisaremos cair enquanto corremos cegamente em busca dos nossos objetivos? Permita que Ele te diga quais os caminhos seguros para trilhar. Assim, você não perde a sua dignidade de filho e pode ter sempre a certeza de que Ele vai estar ali se você precisar. Você pode ter desistido dEle, mas Ele não vai desistir de você. Por que, então, recusar esse amor?

Vídeo sobre o assunto:

Deixe um comentário