Meus dedos batiam nas teclas quase que já automaticamente. Um leve sono, sentimento de conforto e a vontade de comer bolo de chocolate. E era justamente no tal bolo em que eu pensava quando meu chefe me chamou em sua sala e me perguntou por que coloquei "04 de dezembro" onde deveria colocar "12 de julho". Eu ri e o convenci de que estava distraída. E ponto.
E então ele perguntou: "tem alguma coisa no dia 04 de dezembro?".
Dawn, Dust, Evening, Girl, Lens Flare, Person
Puts.
Não havia pensado nisso.
Meu pai morreu no dia 04 de dezembro, mas aquilo nem havia passado pela minha cabeça. Na verdade, nada além do tal bolo de chocolate. "Mas seu inconsciente pensou", respondeu ele.
É estranho tentar entender como é que nossa cabeça funciona. São tantas lembranças, tantas coisas que já vivemos, tantos momentos esquecidos, tantos são os rostos com os quais cruzamos e, sem saber, pode ser um grande amigo de infância...
Nós somos assim. Uma confusão que se entende, que toma ritmo a partir do tempo, que vai desenrolando e formando uma história única, uma pessoa única, diferente de todas que já existiram.
Me enfio no banheiro feminino, onde a janela possui uma das melhores vistas do prédio. Respiro um pouco de ar puro - desses que dão de dez a zero num ar condicionado qualquer -, e me permito pensar um pouco, enquanto contemplo tantas janelinhas dos prédios vizinhos, e imagino como deve ser a cabeça de cada uma das pessoas que já passaram por ali.
Estranho, não? Pensar que o mundo tem bilhões de histórias diferentes, e a sua é mais uma entre elas. As suas alegrias, suas dores, memórias, não passam de desconhecido para qualquer um desses rostos. Assim como as deles a você.
Sempre que olho pela janela do banheiro feminino é a mesma coisa que me vem em mente. Se eu inclinar um pouco a cabeça, consigo ver o pôr do sol em meio aos prédios. Os carrinhos lá embaixo, as pessoas na rua. Tantas coisas. Tantas possibilidades.
Não sei exatamente o que dizer, meus pensamentos são abstratos demais. Mas fico a imaginar as vidas, sonhos, paixões, habilidades e até segredos de tantas pessoas. Quantas delas podem estar vivendo o seu último dia?
A gente vive com a cabeça voltada a nós mesmos, nossas causas, nossas dificuldades. Somos incapazes de enxergar tantas outras realidades a serem desvendadas, tantas pessoas a conhecer, tantas paixões a compartilhar. Somos egoístas demais em boa parte do tempo, e isso me desaponta.
Eu realmente queria saber qual o sabor favorito de sorvete daquele rapaz.

14 Comentários

  1. Que texto lindo! As vezes me pego pensando assim por esses desconhecidos que passam por mim. Perdemos muitas histórias por essa distancia não imposta, né?
    Talvez um dia possamos evoluir nesse sentido também.
    Beijos! <3

    conexaolunar.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. É raro conhecer alguém que transmita com tanta singeleza, coisas simples que vivem dentro da gente e que são quase intraduzíveis em palavras... Faço do seu texto tudo o que sinto!!!

    ResponderExcluir
  3. Nathalia, que texto mais amorzinho. ♥
    Fico sempre feliz quando entro aqui, amo o seu jeito delicado com as palavras.

    ResponderExcluir
  4. Nathalia com seus textos ♥ Ficou lindo e devo dizer que as vezes nos pegamos pensando nisso justamente por querermos sair um pouco da "janela". Queremos ver o mundo.

    ResponderExcluir
  5. "Estranho, não? Pensar que o mundo tem bilhões de histórias diferentes, e a sua é mais uma entre elas. As suas alegrias, suas dores, memórias, não passam de desconhecido para qualquer um desses rostos. Assim como as deles a você."
    "Não sei exatamente o que dizer, meus pensamentos são abstratos demais. Mas fico a imaginar as vidas, sonhos, paixões, habilidades e até segredos de tantas pessoas. Quantas delas podem estar vivendo o seu último dia?"
    Dá vontade de sair pegando vários trechos dos seus textos e colar em tudo, Nathalia. Sério. E os temas que você aborda, - e como os aborda - me traz uma leveza tão grande! Obrigada por isso <3
    Como de costume, esse texto tá maravilhoso!

    Lovecats | allieprovier.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem sei o que dizer pra ti, Allie. Mas obrigada, mesmo <3

      Excluir
  6. Esses dias eu entrei no seu blog para ver se tinha texto novo, e hoje resolvi entrar encontro um texto tão lindo e com tanta delicadeza. Somos completamente parecidas, sempre estou curiosa para saber o que as pessoas estão pensando. Quais os sonhos e os medos! Muito lindo o seu texto <3
    Beijos,
    www.dosedeilusao.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, que amor! Fico tão feliz em saber <3 muito obrigada, Fran!

      Excluir
  7. Que texto maravilhoso. Estou apaixonada pela sua escrita ♥

    ResponderExcluir