Hoje é um dia muito especial para mim. Nesse dia se completa 12 anos desde meu batismo e 1 desde minha decisão em ser toda da Virgem Maria. É muito amor em um dia só, e resolvi compartilhar um pouquinho sobre ele com vocês.

Já compartilhei com vocês aqui que eu passei alguns anos da minha vida em uma igreja protestante. Isso significa que, por anos, ao olhar para uma Imagem de Nossa Senhora tudo o que eu sentia era um ódio inexplicável. Ódio por uma mulher bela, casta, humilde, silenciosa, corajosa, que enfrentou a vida e, através do seu "sim" a Deus, nos trouxe o céu. E eu me pergunto... como isso era possível?
Era possível porque alguém atacava com unhas e dentes o nome da Mãe de Deus. Inventava os maiores absurdos para pessoas que não conseguiam pensar sozinhas. E ali alimentava um ódio disfarçado de amor, um falso cristianismo sustentado sobre uma porção de sentimentos negativos.
Ah, se esse homem tivesse um encontro com Nossa Senhora... se ele pudesse olhar um segundo para seu rosto, contemplar sua doçura, sua serenidade, seu amor... qual seria o resultado disso? Com toda certeza, esse homem sairia desse majestoso encontro com o coração abrasado de amor pela Mãe Santíssima. Seus olhos encheriam-se de lágrimas como os meus se enchem agora, porque tudo isso foi exatamente o que aconteceu comigo.
Eu, que há anos aprendi a odiá-la, de repente me apaixono, e esse amor me arrebata, me dilata o coração e faz com que eu queira chorar a todo instante. Não de tristeza, mas amor... amor puro, amor que nos tira o fôlego, que faz com que desejemos o céu com toda a força para que possamos contemplar Nosso Rei e Nossa Rainha.
Há um ano atrás, no dia 12 de outubro de 2014, eu tomei uma decisão. Decidi entregar tudo o que sou, tudo o que tenho e tudo o que faço de bom a Ela. Decidi que não sou digna o suficiente de agradar Jesus, e então recorro à sua Mãe, que adorna meu coração e o entrega diretamente a seu Filho. E que decisão...
Decisão essa da qual nem um dia eu me arrependi, nem um dia eu posso dizer que não a amei, nem um dia posso dizer que não fui grata por essa minha escolha. A cada dia a Mãe esteve mais próxima a mim e eu a Ela, a cada dia Ela cuidou do meu coração, a cada dia lembrar que eu a tenho renova as minhas forças para continuar.
Hoje eu renovo a minha decisão em ser toda da Virgem Santíssima. Renovo a decisão mais importante que já fiz, e que faz parte de quem eu sou. Não existe Nathalia sem a Virgem Maria. Não se pode separar, não tem mais volta. Eu me entreguei a Ela há um ano e hoje novamente. E todos os dias, como uma dádiva, Ela se entrega a mim.

"Prefiro morrer a viver sem ser todo de Maria" São Luís Maria Grignion de Montfort

4 Comentários

  1. Que lindo Nath!! Várias pessoas na minha paróquia, graças a Deus estão de consagrando a Virgem Maria, é tão lindo ♥
    Eu não sou consagrada, não estou nem perto de atingir a maturidade espiritual para isso, mas admiro profundamente quem faz essa escolha. Nossa Senhora é sim mãe da igreja, Jesus a deu para nós em sua crucificação e eu não compreendo como algumas pessoas não enxergam isso e falam mal da mãe do seu próprio Senhor. Não tem nem sentido fazer isso!
    Enfim, parabéns pela sua escolha, que a Virgem Maria te proteja e advogue por ti todos os dias da tua vida. Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que felicidade em saber disso, Ju! Procura ler o Tratado sem compromisso, é muito bom! E para a consagração basta você ter lido o Tratado e sentir vontade de entregar a Virgem. É uma grande responsabilidade, mas vale muito a pena. Muito obrigada, meu anjo. Tudo em dobro para você! <3

      Excluir
  2. Sou escrava também, e também no título de Nossa Senhora Aparecida! Estou encantada com sua história, desenhos, contos, tudo mesmo!! Que Mãezinha Aparecida lhe guarde!! <3 <3 Parabensss!!

    ResponderExcluir