Eu sempre vejo crianças revoltadas, inquietas, mal educadas e infelizes. Vejo até em minha própria casa, e isso me deixa um tanto triste (e pensativa). A criança sempre carrega a culpa pela forma que é, mas a verdade é que ela sempre reflete o meio em que vive. Essas crianças que citei em minha casa vivem com pais divorciados e que nunca param de discutir em alta voz e com mal palavreado. No que isso resulta? Crianças revoltadas que apanham por serem dessa forma. Mas o que os pais não entendem é que a culpa da personalidade da criança sempre é do meio em que ela vive.
Desde que eu me entendo por gente, meu pai é a pessoa mais próxima de mim. Não fisicamente, até porque ele trabalhava o dia todo quando eu era pequena, mudou de cidade quando minha mãe pediu o divórcio e faleceu no último dezembro (se quiser saber mais, clique aqui). Mas o meu pai sempre esteve próximo de mim porque nunca saiu do meu coração. Eu sou igualzinha a ele, porque ele é a pessoa que sempre me inspirei. Mas sabe por quê?
Meu pai foi bom. Foi um homem honesto, feliz e carinhoso. Meu pai nunca precisou me bater para que eu o respeitasse e amasse. Nunca. Ele sempre me amou excessivamente e isso era correspondido. Eu não queria magoá-lo, então seguia seus conselhos e me esforçava para ser uma boa pessoa. Éramos grudados. Minha mãe já era mais brava, me bateu algumas vezes, mas eu sempre a amei demais e respeitei. Mas, querendo ou não, o meu pai foi diferente.
Aprendi com meu pai que tudo o que uma criança precisa é de amor e bons exemplos. Não precisei de dinheiro, porque ele não tinha. Sofria muito por não conseguir me dar das melhores coisas, mas eu nunca me importei. Amei o que ele era por dentro, e vou continuar amando até o fim da minha vida.
As pessoas acham que precisam bater na criança porque ela desenvolve tal comportamento que não os agrada, mas isso é uma mentira. Estou cansada de ver pais que batem em crianças porque elas querem brincar, correr, mamar, etc. Mas isso não seria natural? Quanto mais você reprime alguém pelo o que ela é, pior ela fica, e nisso incluo as crianças. Se todas as famílias fossem estruturadas e dessem às crianças o amor e exemplo que o meu pai me deu, teríamos hoje pessoas muito melhores e, consequentemente, um mundo melhor.
Meu pai me ensinou que o amor vence qualquer tipo de ódio, e educa por si só. E é por isso que ele sempre vai ser o homem da minha vida.

14 Comentários

  1. Que belo texto, Nath!
    É muito comum eu ver crianças irritadas e mal educadas no dia a dia, o que é uma pena... A minha vizinha é um exemplo, tem 6 anos e se comporta mal, grita com a mãe às vezes, não arruma a própria bagunça, entre outas coisas... Sinto uma certa pena pois os pais acabaram de se divorciar e sei que não é fácil educá-la pois os dois são cegos, mas a mãe dela conseguiu com os outros dois filhos e então pode conseguir com ela. Eu tento ensiná-la com muito amor, mas infelizmente ela só me vê nos finais de semana, mas creio que isso seja o bastante.

    Oh, que triste o que aconteceu com o seu pai... Lamento. Li o texto da página Sobre e me emocionei, que lindo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Mel!
      É realmente triste quando isso acontece. Espero que consiga fazer a diferença na vida da garotinha <3 um abraço!

      Excluir
  2. Que texto lindo, simples e essencialmente verdadeiro.
    Hoje o mundo tem valores completamente distorcidos, onde o respeitar, ouvir e amar seus pais já é coisa ultrapassada.
    Mas acredito que pessoas assim como você são capazes de mudar o mundo, a bíblia nos da essa força e esse ensinamento (Rm 12.2).
    Eu tenho valores bem seguros porque tive pais zelosos e são esses valores que estou ensinando aos meus filhos.
    Novamente parabéns pelo texto.
    Beijos
    http://tecontopoesia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz por isso, Camila. Hoje em dia são poucos os que tiveram a oportunidade de ter bons pais como os seus! Fico muito grata pela gentileza, minha querida. Um abraço <3

      Excluir
  3. Queria começar o comentário dizendo: TÔ VIVA!!! HAHAHAH e senti falta de vir aqui no seu cantinho

    Lindo texto, como sempre. Acredito muito que os filhos são reflexos do lar que viveram. Muito do que sou hoje (coisas boas e ruins) vieram do convívio que tive com meus pais. Outra coisa que acho que anda "estragando" muito as crianças hoje em dia é aquele sentimento de "eu posso tudo" que os pais deixam os filhos sentirem. Sou contra o castigo físico, mas os pais precisam impor limites, ensinar o certo ou errado. E muitas vezes eles falham nisso :(
    E só pra completar: Não conheci seu pai, mas só pelo o que fala nele já o admiro muito!

    Beijão! ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. DAAAAAAI, tava pensando no cê esses dias, menina. Que saudade! É sempre bom te ter por aqui.
      Então, eu tenho muita coisa boa dos meus pais, mas tem algumas ruins também... talvez a forma com que eu me estresse fácil como a minha mãe, não sei.
      Mas muitas vezes o castigo é sim necessário, sabe. O ruim é quando é a única forma de corrigir, porque a criança já está mal educada de uma forma que mal ouve o que os pais dizem!
      E de coração mesmo, "Não conheci seu pai, mas só pelo o que fala nele já o admiro muito!" ISSO ME QUEBROU, me quebrou totalmente. Mas como a boa filha que ele dizia que eu sou, minha intenção é fazer com que ele seja lembrado mesmo que não tenha sido rico ou famoso. E fico muuuito feliz que possa admirá-lo também!
      Um beijo, e muito obrigada <3

      Excluir
  4. Aprendi bastante com meus pais , espero um dia passar isso para frente , respeito eles pois eles mi criaram e tudo , quando tiver idade para tomar decisões eu tomo mais sempre com o maior respeito por quem mi deu a vida ^^

    nataliloure.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo, xará! Nossos pais podem ter defeitos, mas o que seria de nós sem eles, né? Um beijo <3

      Excluir
  5. To aqui chorando com o seu texto! Bater em criança não leva a lugar nenhum, não faz ela ficar mais violenta e agressiva. Aconteceu comigo mais ou menos isso que aconteceu com você em relação a sua mãe, quando eu era pequena eu simplesmente não consegui sentir amor por ela, mas pelo meu pai sim, ele não me batia e era sempre amoroso comigo, mas a minha mãe era muito nervosa e qualquer coisa brigava comigo, mas depois cresci e entendi que esse era o jeito dela de me amar e 'educar', mas nem todos vêem isso assim depois de um tempo. Meus pais sempre brigaram muito e isso me prejudicou nos meus relacionamentos, mas espero melhorar em relação a isso. Sinto muito que o seu pai tenha falecido, mas onde quer que ele esteja, ele está orgulhoso de você ♥

    Beijos
    www.umdiarioqualquer.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, eu te entendo muito, Vanessa! Hoje sou bem mais amiga da minha mãe do que antigamente, às vezes discordamos de algumas coisas, pensamos de formas diferentes, mas agora que sou mais velha é gostoso ter ela como uma amiga pra mim, coisa que antigamente não era! E muito obrigada mesmo, minha querida. Tenho certeza que ele está sim <3 um beijo!

      Excluir
  6. Olá!
    seu texto tem tudo a ver como nosso projeto:
    www.primeiroheroi.com.br

    http://www.youtube.com/watch?v=XUJbaK8viAw&feature=youtu.be

    ResponderExcluir
  7. Texto muito tocante, imagino o quanto deve estar sendo difícil pra você passar por tudo isso, mas tenho certeza de que o seu pai foi uma pessoa inspiradora e todos os ensinamentos dele vão te marcar para o resto da vida. As lembranças, os bons momentos que você passou ao lado dele e a pessoa que você se tornou por causa disso é o que realmente importa. Tenho certeza que ele deve estar orgulhoso de você e de quem você é.

    http://lenabattisti.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir