Lembro-me de quando éramos jovens
fortes, invencíveis, guerreiros.
Não tínhamos nada a temer,
e nada era capaz de nos desanimar.
Lembro-me de quando éramos jovens
e víamos esperança em tudo
até no mais temido bandido,
ou numa noite sem estelas;
e cá entre nós,
coisa pior não há.
Lembro-me de quando éramos jovens
tínhamos sonhos em nossos corações virgens,
sorríamos quando nos dava na telha,
não havia decepção que nos parasse
e simplesmente não esperávamos pelo dia de amanhã.
Lembro-me de quando éramos jovens
e o amor de Cristo estava quente em nossos corações,
não importava o que dissessem,
nós sempre sabíamos o que queríamos.
Lembro-me de quando éramos jovens
e de repente deixamo-nos desanimar,
éramos incapazes de ver esperança
e a falta de estrelas já nos era indiferente.
Lembro-me de quando éramos adultos
vieram as primeiras decepções
e percebemos que não tínhamos mais o colo de mãe,
nem os sonhos de nossos coração não mais virgens.
Lembro-me de quando éramos velhos
e deixávamos tudo para depois,
não olhávamos mais para o Pai,
porque afinal, todo mundo dizia que Ele não existia.
Lembro-me quando percebemos que estávamos perdendo nossas vidas
e o medo impedia que nos abríssemos a novos amores.
Finalmente olhamos novamente para o céu
e percebemos que não havia motivos pra esperar o dia de amanhã.
Por alguns instantes de difícil decisão,
escolhemos viver de novo,
sonhar de novo,
sorrir de novo,
e simplesmente voltar a sermos jovens.

Deixe um comentário