Quando eu lembrei que sou adolescente

Ontem eu estava lendo Um Ano Inesquecível, um típico livro adolescente, enquanto ouvia uma playlist de música pop nos fones de ouvido. E eu tive uma experiência diferente...
Eu tive que ser adulta muito cedo. Aos 13, um dia eu era uma criança que mal podia sair de casa e no outro, PUF! Era uma garota independente, com os pais separados e o peso de escolher com quem queria morar. Aos poucos isso só aumentou. Com 16 eu encontrei sozinha o meu emprego, fui resolver assuntos bancários que eu não fazia a menor ideia sozinha e pagar minhas contas sozinha. Eu não podia mais depender de ninguém.
E depois de tanto tempo entre trabalho, estudos, Igreja, blog e encomendas de ilustrações, ter um tempinho para ler um livro adolescente foi algo muito fora do comum. Ali retratava um amor de primavera que há muito tempo eu não dava mais bola – e ainda não dou, para falar a verdade. Estava ouvindo algumas músicas típicas da idade em que eu teria tempo e interesse para ler esse tipo de história. E foi incrível.
Em alguns momentos me peguei fazendo coreografias. E quando o mocinho bonito do metrô chamou a mocinha para sair, eu berrei um “isso aí, garota!” mentalmente. Até levantei o braço, juro. E foi aí então que eu percebi.
Estava me sentindo a adolescente que eu ainda sou. Vibrando com amores platônicos e sentindo aquela coisa típica da idade que faz com que sintamos que podemos fazer qualquer coisa. Ganhar o mundo, sair pela vida, ter um amor desses de A Culpa É Das Estrelas.
Pode parecer fútil, mas para mim foi importante. A gente vive a vida toda querendo crescer, querendo parecer invulnerável, provar ao mundo que somos autossuficientes. E, na verdade, às vezes tudo o que a alma pede é um pouco de paciência consigo mesmo. Um momentinho fútil, um erro idiota, uma piada de mau gosto. Essas coisas típicas de seres humanos, sabe? Às vezes é bom lembrar que não somos robôs. Às vezes é bom ler um romance de primavera.

Playlist: 10 músicas nostálgicas da Disney

Olá, belezuras! Como vocês estão? Aqui está tudo bem, graças a Deus.
Hoje venho trazer a vocês 10 músicas que eu ouço às vezes e tenho aquele sentimentozinho gostoso de nostalgia. Como é bom relembrar tempos de pré-adolescência, onde não tínhamos preocupações maiores do que o que teríamos para o almoço e podíamos brincar o tempo todo, né?

1. Breaking Free - High School Musical
Eu sempre fui apaixonada por High School Musical, sempre! Recentemente encontrei essa música e meu Deus, que coisa deliciosa. Reviveu tanta coisa gostosa do meu passado, inclusive um dos primeiros crushs da vida: Zac Efron. Lembro que eu e minha melhor amiga discutíamos porque eu preferia o Zac e ela, o Joe Jonas. Hahahaha

2. Gotta Go My Own Way - High School Musical
Ah, as primeiras bads! Como esquecê-las? Hahaha. "I've got to move on and be who I am"... o engraçado é que isso é lição de moral para a Nathalia nove anos mais velha do que quando ouviu isso pela primeira vez. Tem coisas que nunca ficam velhas!

3. This Is Me - Camp Rock
"No more hidding who I wanna be..." mais uma das lições que nunca perdem a validade. Eu assisto esse vídeo quase todos os dias e o sentimento é delicioso. Um dos primeiros shipps: Jemi! 

4. Introducing Me - Camp Rock
Esses dias saiu um videozinho do Nick cantando essa música no carro e eu tive que compartilhar no meu perfil pessoal. Eu amo Camp Rock e amo essa música de paixão <3

5. Hero - Starstruck
Ah, uma das primeiras desilusões amorosas! Eu ouvi essa música por um bom tempo. Até 2012, eu acho, ela ainda estava na minha playlist. Esse filme é muito amorzinho, não dá para negar <3

6. The Climb - Hannah Montana
Hannah Montana tira a peruca e destrói nossos corações! Tenho saudades dessa Miley, dessa fase. Essa música com certeza nos deixou boas lições e aprendizados quando éramos mais novos, mas isso não parou. Ainda dá pra usar a letra quando der vontade de desistir, viu?

7. La La Land - Demi Lovato
O que muitos não sabem é que uma das minhas cantoras favoritas da vida é a Demi, desde essa época aí. E olha que personalidade gostosa a dessa mulher! Claro que ela mudou muito nesses anos, mas ainda é uma delícia pegar essas músicas antigas para ouvir <3

8. Butterfly Fly Away - Hannah Montana
Essa é difícil. Quase choro sempre que ouço, já que além da nostalgia, vem também a saudade. Nessa música, Miley canta com seu pai e é uma das cenas mais especiais do filme para mim. O bom dessas músicas é que elas lembram uma fase importante, uma fase mais simples e que eu podia me sentir criança (embora eu não quisesse) e depender de alguém. Tempos mudam, isso vai embora, e a única pessoa que eu realmente queria depender foi embora desse mundo. Mas tudo bem, novas fases chegam e devemos aproveitá-las sempre com coragem e um sorriso no rosto!

9. Determinate - Lemonade Mouth
Lemonade Mouth não fez taanto sucesso, mas eu gostava tanto! Sabia todas as músicas, amava os personagens e até umas coreografias no chuveiro rolavam. O filme trata assuntos como amizade, superação, sonhos e envolve, claro, muita determinação!

10. Send It On - Jonas Brothers, Demi Lovato, Selena Gomez & Miley Cyrus
Como esquecer Send It On? A música que junta nossos principais queridinhos da Disney, na melhor das fases, na minha opinião <3

Eu realmente espero que tenham gostado da nossa playlist nostálgica! Essas músicas sempre me trazem um sentimento positivo e uma saudadezinha gostosa de tanta coisa que vivemos nessa época!
Lembrando que eu não estou tão presente aqui no blog, mas estou sempre postando ilustrações na página do 48janeiros no Facebook. Vocês também podem me acompanhar pelo meu Instagram e pelo Snapchat @ncdutra.
Beijinhos!

Valor de X

Lembro-me que quando era pequena, certa vez meu pai me deu um spoiler dos próximos anos de colégio. Disse-me que aprenderíamos a calcular o valor de x. "De x?!", exclamei. "Mas x é uma letra!". Em seguida, pedi a ele que me dissesse, previamente, qual seria o tal valor de x. E ele disse que era relativo, que dependia da expressão. Aquilo me pareceu impossível, pensava que nunca chegaria a desvendar tamanho mistério. Mas os anos foram passando e finalmente, no tempo certo, entendi o que aquilo significava. Aprendi não só a descobrir o valor de x, mas de outras letras, ângulos e por aí vai.
Às vezes passamos por situações das quais não conseguimos tirar nenhum entendimento. As coisas simplesmente não se explicam. Daí então o tempo passa e tudo vai se encaixando, percebemos o quão maiores somos depois e como só o tempo pode nos explicar alguns mistérios da vida.

Eu vi você

Eu estava na mesa, sozinho, beliscando alguma coisa antes de finalmente me jogar em casa. Queria prolongar aquele tempo perdido, aterrissado nas ruas solitárias daquela cidade tão mais interessante e cheia de possibilidades do que meu apartamento mal iluminado.
Entre esses minutos em que refletia sobre teorias conspiratórias e deveres da faculdade, eu vi você. Ali, perto da porta, com a cabeça apoiada na janela. Parecia cansada, mas não anulava o ar angelical. Os cabelos negros desarrumados sobre os ombros, o suéter aquecendo as mãos pálidas... Eu vi você. Não me viu de volta, não foi recíproco. Mas eu a vi. E você estava linda.
Talvez se deva a isso, ou a tudo o que se passou pela minha cabeça naquele momento, o meu ato impulsivo ao te ver enxugar as lágrimas, contar as notas na bolsinha de couro, dirigir-se ao caixa e se jogar pelas ruas frias da cidade. Sem pensar, pago o que devo e a sigo só para poder observá-la um pouco mais. Não queria te perseguir ou invadir sua privacidade. Mas você parecia ter saído de um daqueles meus sonhos confusos onde de relance aparece um anjo e eu sei que tudo vai ficar bem.
Talvez eu estivesse vivendo um sonho naquela hora. A pressão em voltar à monotonia do meu quarto, às paredes cinzas e aos móveis empoeirados, sendo abruptamente desfeita por uma bela moça de saia branca, coturnos e suéter marrom.
Você, para a minha surpresa, não saíra correndo pelas ruas gélidas em busca de um taxi. Estava ali, encostada no muro vizinho, com as mãos nos bolsos e o olhar fixo em algo que até hoje não sei descrever. E, antes que eu pudesse dizer qualquer coisa, começou a falar sobre como o céu estava bonito e em como é um pavor ter que ficar longe das estrelas por todo o dia. E ali eu soube que hoje você estaria aqui, comigo. Entre os lençóis de uma cama extensa, no nosso calor que não é todo nosso, mas o dividimos com o moletom e as meias compridas. Você deitada em meus braços e eu me sentindo como se houvesse aberto uma passagem secreta para o topo do túnel. Não era só uma luz, era toda a claridade. E, então, as coisas finalmente fizeram sentido. Eu sou grato por isso.

Inspiração: quartos

Eu não sei vocês, mas eu sou obcecada por decoração. Amo navegar por páginas onde existem diferentes ambientes, são transmitidas diferentes personalidades e cenários para futuras histórias. A decoração possui essa marca de transmitir um pedaço de quem a projetou, e eu acho isso incrível!
Quem me acompanha no Instagram há algum tempo sabe que sempre acabo postando uma fotografia do meu quarto, já que eu sempre estou mudando um detalhezinho ou outro. E algo que eu adoro fazer é buscar referências externas, coisas que nunca pensei e imagens que me deixam completamente inspirada.
Hoje venho trazer a vocês o Homify, um site que, na minha opinião, possui ótimas inspirações. Separei alguns dos muitos exemplos de quartos que encontrei navegando por aqui, e olhem quanto amor:
Quartos ecléticos por Egger`s Einrichten
Eu amo ambientes com madeira, amo essa sensação de casa de campo, uma tranquilidade que nos arrebata da vida agitada na cidade! Acredito que esse seja o motivo de eu ter gostado tanto desse quarto. Os tons claros deixaram o ambiente muito aconchegante.
Quartos rústicos por Студия интерьера PODIUM
Eu adorei o papel de parede, as gaiolas como decoração e as almofadas coloridas. O ambiente ficou bem descontraído e conseguiu manter a visão de quarto de filme tropical. Eu amei!
Suite : Quartos modernos por Márcio Campos Arquitetura + Interiores
Outra ideia que adorei foram os quadrinhos motivacionais. Nesse caso não foram aplicadas muitas cores, os tons em escala cinza deixaram o ambiente bastante elegante.
Quartos campestres por Karin Armbrust – Home Staging
Mais uma vez os quadros e as almofadas coloridas aparecem e deixam tudo muito mais bonito! As almofadas são fáceis de achar pela internet, já os quadros, logo apresentarei uma supresa que tenho certeza que vão amar <3
Quartos clássicos por DreamHouse.info.pl
Eu amo esses ambientes bem calminhos, doces e que transmitem uma paz sem igual! E é por isso que escolhi esse quarto acima. Os tons clarinhos fizeram um quarto comum parecer um verdadeiro quarto de filme europeu.
Quarto Casal : Quartos ecléticos por Patrícia Azoni Arquitetura + Arte
Para meus leitores católicos, olhem que amor! Eu que nunca soube muito bem como organizar meu oratório, com certeza vou aderir a esse exemplo que ocupou pouco espaço e ficou uma belezinha <3

Por hoje, é só. Mas vale lembrar que o Homify possui também inspirações para qualquer ambiente, diferentes tipos de casas e gostos! Para quem fica super inspirado com essas ideias de decoração e não vê a hora de mudar tudo pela décima vez, deixo aqui a dica.
Até mais!
 
© Todos os direitos reservados | DESIGN POR NATHALIA DUTRA voltar ao topo