26 agosto 2016

Permita-se ser moldado

É muito comum escondermos de nós mesmos quem nós devemos ser. Por muitas vezes nos contentamos com o que somos. Com os nossos defeitos, nossas misérias... Encaramos todas essas coisas como se fossem naturais de nós, como se fizessem parte do nosso ser. Enxergamos como características nossas, mesmo que sejam ruins. Teimamos que somos assim e pronto. Aceitamos nossas misérias, muitas vezes sem esperança de nos tornarmos algo melhor.
Chega uma hora que nos damos conta de quem é o nosso Pai. Começamos a ver que as nossas características não se encaixam... Como pode um Deus, sendo assim tão perfeito, ser Pai de um ser tão miserável? Como pode Jesus, sendo soberano, andar ao lado de um ser tão falho? Como pode o Espírito Santo, tão sublime, escolher viver em um ser tão desprezível?
Percebemos então que há algo errado. As coisas estão fora de ordem. De repente nos damos conta do quão ingrato estamos sendo, aceitando a nossa miséria e deixando por isso mesmo. Impossível conhecer Deus e não querer mudar. Impossível conhecer Jesus e não querer ser alguém melhor. Impossível conhecer o Espírito Santo, sentir a Sua presença e não querer exalar o Seu cheiro.
Quando verdadeiramente nos colocamos diante de Deus, entregamos todas as nossas limitações, tudo aquilo que achamos difícil de mudar, passamos a descobrir algo diferente em nós. Começamos a ver que, para ser melhor, talvez precisamos nascer de novo, mas que não é impossível. Começamos a perceber algo novo, exatamente aquilo que estava faltando para sermos nós mesmos.
Jesus tem poder para nos transformar, transformar nossos defeitos em qualidades. E tudo o que precisamos fazer é deixá-lo agir em nós, por nós e através de nós. Talvez andamos buscando maneiras complicadas demais de fazer isso. Nos esquecemos que Jesus age, principalmente, na simplicidade. No silêncio do nosso interior. Nós só precisamos nos entregar. Não precisamos nos preocupar em dizer a Ele frases bonitas, mas somente em ir ao Seu encontro, com toda sinceridade. Esquecer, por um momento do dia, todas as preocupações que nos rodeiam, fechar os olhos, abrir o coração e sentir a sua presença... Somente isso. Do resto, pode deixar que Ele cuida (e com muito carinho).

24 agosto 2016

Buquê de margaridas

Recordo-me da primeira vez que me deram flores. Era um belo arranjo de margaridas brancas, lindas, transmitindo inocência e pureza e o melhor que havia em mim. Naquele dia decididamente tornei aquela flor, antes desconhecida, a minha flor favorita. Cuidava, plantava novas e dizia às pessoas as vantagens de se ter margaridas em sua vida e como tê-las mudava nossa visão de mundo. Com o tempo conheci outras flores, deixei-me levar por outros perfumes e das margaridas me esqueci. Crescendo em tamanho e maturidade, atrevo-me a comparar tal experiência com o amor de Deus.
No vasto jardim em que vivemos, creio que em incontáveis momentos também foi lhe dado um buquê de margaridas. Buquê desses que despertam o nosso melhor; mas sei também que cegamente se encantou por outras flores e resolveu partir.
E ao deixar o Amor vamos nos ferindo com os espinhos que antes foram ocultados pela beleza atrativa e tornando-nos pessoas machucadas, indispostas, medrosas e apegadas a coleções de enganos. Mas quem lhe ofereceu margaridas se encantou primeiro; se encantou por você! Um presente essencial para assegurar dentro de você o seu primeiro amor, para deixar claro que você é importante. Mesmo que com o tempo tenha se esquecido, tem marcas do Eterno em você bem mais fortes do que as marcas dos espinhos que outras flores tenham lhe causado. Tem marcas de amor puro, concreto e desejoso de curar-te, restaurar-te e definir-te como preciosidade insubstituível.
Diferente das margaridas que ganhei numa apresentação na escola, o amor de Deus é gratuito e te presenteia simplesmente por existir, por ser a obra mais perfeita e amada.
Sempre que vejo margaridas é despertado em mim um sentimento que outra flor jamais irá me proporcionar. Assim é com o amor de Deus; por mais que eu tenha me aventurado, me perdido, pecado e caído incontáveis vezes, nada disso me define. Eu posso ter cometido erros, mas eu não sou um erro; posso ter me acostumado a me remendar, mas fui criada para Renascer pela Misericórdia Divina. 
Sigo compreendendo que a minha essência não pode ser mudada e a minha essência é marcada pelo primeiro amor, pelo meu buquê de margaridas presenteado por Deus. E mesmo que outras flores floresçam e me sejam oferecidas, terei sempre meus olhos fixo nas Margaridas.
"Seduziste-me, Senhor, e eu me deixei seduzir" Jr 20,7
A cor que ofereço essa semana é a cor de uma margarida. Pureza, delicadeza, paz e tranquilidade são os sentimentos ofertados.
Salve Maria!

23 agosto 2016

Por alguém que amamos

Leia ouvindo essa música aqui.
Era madrugada.
Me sentei na borda da sua cama e olhei uma última vez pro seu rosto. Você dormia tão tranquila. Seus cabelos longos e ondulados repousavam por cima das cobertas, suas bochechas rosadas se apoiavam no travesseiro e em suas mãos estava o terço que você rezava quando caiu no sono.
Olhei mais uma vez pro seu sorriso e refleti por alguns instantes sobre o que estava prestes a fazer. Mesmo ali, naquele momento em que cada célula do meu corpo gritava de medo, algo dentro de mim me iluminava e mostrava que, de fato, este era o caminho que eu devia seguir. Dei um beijo na sua testa e parti.
Não tinha certeza se estava pronto. Minhas pernas tremiam, eu gaguejava ao falar, meus olhos lacrimejavam, mas sabia que precisava fazer isso. Sabia pelo o que passaria nas próximas horas, mas também sabia que era necessário pra que você ficasse bem.
Acho engraçado como pra vocês é tão simples mudar o significado de gestos simples. Um ato de carinho de repente se torna um ato de traição sem que haja qualquer tipo de prenuncia, e logo estou eu aqui lutando contra as minhas fraquezas.
De qualquer forma, deixei todo o medo de lado e continuei caminhando.
É estranho se ver cercado de pessoas e, do nada, olhar ao redor e encontrar a solidão. Tudo que me restou foram as imagens marcadas na minha mente e os sentimentos que batiam fortes no meu coração. Várias vezes pensei em desistir, mas o que você poderia fazer se eu parasse aqui? Eu não podia simplesmente te deixar desamparada. Não, eu precisava ir até o fim, afinal, foi por você que tudo isso começou.
O medo cedeu seu lugar à dor, mas isso era insignificante. Todos precisam sacrificar algo ao menos uma vez na vida, e esta era a minha hora. Eu prometi que iria fazer de tudo pra te proteger e pra te salvar, e assim o fiz, ainda que nem todos os seus olhares tenham sido em minha direção, ou que nem todos os meus abraços tenham sido retribuídos.
No fundo eu sabia que, em algum momento, seria motivo de confusão. Ao andar por aquele caminho de areia e pedras me deparei com tantos olhares, e o que mais me doeu foi ver que a maioria deles eram olhares de ódio. Como poderiam sentir tantas coisas negativas sem ao menos conhecer toda minha história? Sem nem saber o que eu fazia ali?
Ah, meu anjo. O que aconteceu com vocês? Mesmo ali, dando tudo que eu podia dar, vocês me viraram as costas. Mas não importa, nada mais importa porque tudo isso foi justamente pra que vocês aprendessem que, as vezes, sacrifícios são necessários para proteger quem amamos.
Eu sabia que seria difícil, mas consegui. E tudo por você, filha querida.
Minha pequena, tudo que eu quero é que, ao olhar pela sua janela e ver o nascer do sol, repare na forma que os raios de luz tocam a sua pele e te aquecem, na forma que, assim como ele se levanta, logo se põe mas ainda assim sua luz chega a você por reflexo da lua.
E que, assim como ele, um dia eu também me levantei e fiz minha luz irradiar para toda a humanidade. Assim como a chuva lava toda a natureza, um dia meu sangue lavou o coração daqueles que se permitiram ser molhados. Lembre-se de que, assim como você me tem seguro em suas mãos, eu a tenho segura em meus braços desde antes da sua existência material.
Não deixe de cultivar seu lindo sorriso. Ele é fonte de conforto e força para aqueles à sua volta. Ao menos para mim o foi quando o vi no momento em que estava caído e vieram limpar o meu rosto.
Sabe, quando me levantaram naquela cruz eu estava ansioso. Pensei no momento em que você me receberia pela primeira vez e fiquei imaginando como seria a sensação de habitar o seu coração, de me fazer pequeno o suficiente pra que você me carregasse pelos lugares que costuma ir. Também pensei nos longos momentos que teríamos pra conversar no Sacrário, em todos os assuntos que você traria.
Não quero que fique triste pelas coisas que aconteceram comigo. Posso ter me ausentado por dois ou três dias, mas foi pra passar a eternidade com você, filha querida, e enquanto a sua eternidade não chega, continuo aqui segurando sua mão.

Ass. Jesus
Design e Código: Sanyt Design | 48janeiros • voltar ao topo